domingo, junho 02, 2013

Por Acaso




Nem tudo é o que parece ser. O que talvez não tenha sentido ou qualquer tipo de conexão é o que vai surpreender. Por ações aleatórias e livres de premeditação, ocorrem dos mais trágicos aos mais felizes momentos da vida. Coincidência é sua nomenclatura. Há quem diga ser o destino, mas acho essa palavra usada com muita frequência e não expressa o mundo incrível em que vivemos. As coincidências são melhores, deixam um gosto de surpresa e de querer-se mais. 
E quando coisas boas surgem de coincidências, ou de ações intencionais mas não premeditadas, ah! como sentimos medo de perdê-las. Medo de perder a chance, de perder quem encontramos no meio da jornada. Às vezes fazemos até o que não se deve devido ao pavor. Erramos sem querer. Fingimos ser o que não somos, tentamos passar por cima ou machucar alguém, de vez em quando até sem querer. E muitas outras vezes não sabemos lidar com o que apresenta-se a nós. Mas é tão boa a sensação! Dá vontade de viver! Viver a chance que foi-nos dada e, ao menos, tentar mantê-la. Perder nessas horas, torna-se amargo, ruim, doloroso. Perder aquilo que aconteceu por mero acaso e que havia verdadeira afeição e interesse. Dói, cedo ou tarde!
Então por mais que as coisas e as pessoas pareçam estáticas, que estão ali apenas porque existem, pode ser que qualquer dia, qualquer hora, em qualquer lugar, aconteça algo maravilhoso. E devemos aproveitar cada oportunidade que nos cai quase que como dos céus. Assim como a chuva cai e as plantas aproveitam aquela água para sobreviverem, devemos valorizar as chances que nos são dadas e fazer as nossas vidas melhores a partir delas.


Texto à pedidos do amigo e leitor Marcos.
A imagem partiu da ideia dele. Em suas palavras: "O caos das coisas. 
Tudo está ligado, mesmo estando longe, sem conexão aparente. 
 Um segundo ou centímetro a mais ou a menos, e tudo muda!"
Espero que goste! 

sábado, maio 25, 2013

Life



She might take us down
She'll never die
The one who sings
Songs of life and death
The fall, the pain
We can hear the cries from the top
The mountains sing their own songs
They sing sadly
The melody no one wants to hear
She caused
The suffering we see
Men's faces are red and covered
With the blood of their beloveds
She killed all of them
She burned their souls
She made just the way she wanted
The way it's always been
Nothing's changed
But at the same time
We may hear screams
Of happiness and enjoyment
It's heard laughs from the top
Still the mountains are sad
The smiles are given away
In an inocent face of a child
Who just received a gift
And She didn't stop it
Because She lets life go as well
Both sides of the sword
Her good and her bad
It's always shown
For all of us
And we must face Her
No matter what
Because eventhough we cry
We laugh too
We love being here