quinta-feira, dezembro 30, 2010

Tons e Notas




Ponho suas fotos numa caixa. Fecho-a. Fixo meu olhar na caixa por alguns instantes. Mudo de posição na cama. Ajeito os cabelos num suave toque da mão. Olho para os lados e torno a olhar com atenção para a caixa. Recordo de alguns dos vários momentos que já passei ao teu lado e os olhos não se desprendem da caixa. A caixa significa algo que não se explica. Não ela em si, mas o que há dentro dela. Que faz com que eu sinta as emoções mais puras e mais fortes que eu já pude sentir. Tons de alegria, desejo e saudade vão misturando-se com notas do "Tempo". Só de olhar para a caixa e recordar-me do que há ali dentro, sinto imensa felicidade e lembro que vivo meus melhores dias.
Amo você! ......

Árdua Tarefa



Estou na expectativa pelo dia de amanhã. Sei que não faz muito tempo desde a última vez que nos vimos, mas mesmo assim sinto falta da tua voz, do teu beijo. Eu queria acordar todos os dias e ver que você esteve lá comigo, a noite inteira. Sentir o teu calor logo nas primeiras horas após o amanhecer. Essa minha sede que torna-se cada vez mais insaciável a cada despedida. Com o amanhã já sonhei. E fiz planos que sei que não se concretizarão. Por obra do acaso ou por falta de sorte, eu não sei. A única coisa da qual tenho ciência, é essa vontade dilacerante que não se cala nem quando adormeço. E o que me resta fazer além de esperar, é sentar na calçada, contemplar o céu nublado e as andorinhas a voarem, e escrever. Escrever até que as palavras não consigam mais suportar o fardo de ter que tentar transcrever o que não cabe nem mesmo no meu íntimo. Mas é verão, no final das contas .....

Desperte!




Acorde, menina! Hora de cantar a canção. Hora de expor o que contém esse teu triste coração.
Levanta! Ainda não viu que horas são? É hora de ver a beleza que esconde-se por trás de cada emoção!
E mesmo sentindo-se triste, você verá que ainda é dia e que nada está perdido em definitivo. Os raios de Sol ainda não cessaram de incidirem sobre nossa pele que queima-se lentamente.
Não importa o quanto tenha que caminhar, não limite seus sonhos a uma possibilidade finita.
As dores sempre vêm, como vão também. Cabe a cada um a diferença entre lidar com elas, vencê-las ou sujeitar-se ao seus desagradáveis efeitos.
Se existe sombra, é porque há luz. O equilíbrio encontra-se dentro de você e no que você acredita. Há um lado que contra-balança o outro. E a ordem do universo segue em linha reta apenas dessa maneira.
Não se imponha como barreira para seus próprios desejos e sonhos. Use de seu otimismo, por mais escondido e ofuscado que esteja, para ser feliz em algum momento doloroso.
A dor produz crescimento, mas apenas se vier acompanhada com um toque de grande felicidade ao final de cada batalha.
Acorda, menina! O sonho acabou! Faça feliz a sua realidade ...... A velha canção anseia fazer com que vejas quão boa pode ser a tua vida, se você tentar!

Pensamento distante







27/12/2010


A beleza dos teus olhos que me segue. A luz que ilumina tanto por tão pouco tempo. O Sol que brilhava ontem, hoje já está escondido. As noites se tornam imensas e os dias passam ainda mais lentos. As nuvens retêm os raios de Sol, deixando apenas uma luz tênue e cinzenta. Os dias que costumavam passar em tão pouco tempo tornaram-se infinitos de alguma forma. Ou então vivo dias seguidos achando que ainda é o mesmo. Perdi-me no espaço tempo. Já não sei que horas são, em que dia estou. Eu sinto emoções variadas. Ora saudade, ora medo, ora não sei como eu deveria estar me sentindo ou me portando. Eu apenas vejo, na luz fraca, algo que faz com que eu não sinta a confiança que outrora encheu de vida e expectativa um olhar perdido entre a linha do horizonte e o Sol a se pôr. Não sei se estou certa, nunca sei. Minha dúvida castiga-me, assim como já expus tantas outras vezes que já nem sei quantas. Mas eu seguirei, com ou sem dúvida, com ou sem certeza. Pois meu olhar não se resume ao horizonte.

segunda-feira, dezembro 27, 2010

Os que amo




Durante a vida, encontramos pessoas de diferentes tipos, diferentes personalidades, diferentes estilos. Durante o tempo em que permanecemos sobre a Terra, encontramos coisas que nos fazem querer continuar por aqui um bom tempo, encontramos dificuldades que às vezes faz com que queiramos desistir de tudo o que já nos foi apresentado. As pessoas passam, algumas ficam por um certo tempo, outras guardamos tão bem, que jamais conseguem sair de nosso pensamento. Família, amigos e amores, eternos ou apenas paixão. Uns se fazem tão primordiais, enquanto outros apenas passam .... Dentre os que se fazem indispensáveis, encontram-se meus amigos. Uns que moram não muito longe, outros há milhas daqui. Pessoas do Sudeste .... é, o Sudeste me trouxe muitas alegrias ultimamente. Amigos que ''encontrei'' lá ..... E este post é dedicado à todas as pessoas que fizeram minha vida mais feliz em algum momento, e que ainda fazem, por certo. E segue a lista (não exatamente em ordem de importância, afinal todos são muito importantes de verdade pra mim):

• Júnior
• Marcos
• Phillip
• Leonardo
• Chico
• Cristiano
• Mel Oliveira
• Evenllyn
• Natalia
• Jimmy
• Denis
• Mônica
• Shynata
• Laryssa Ketley
• Mozart
• Yoh
• Leiner
• Rejane
• Sabrina
• Juliana Cedraz
• Ian Harun
• Wanda
• Micael
• Carlos
• Louani
• Késsia
• Ana Luiza
• Victor Viana
• Juh Alves
• Victor Bolonezi
• Felipe Álex
• Minha família (Kellynha, Mailiny, Marcone, Bruce, Maike, Lila, Maiko, Renata, ANTÔNIO DUARTE, Mareni, LINDALVA, Rose, Irismar)
• João (querido professor de História)
• Hugo Lucena
• Jorge
• Wykis
• Johnatan Monteiro
• Robinho

São várias as pessoas, falta-me palavras e espaço para descrever a todos e o quanto significam pra mim. Mas algo eu gostaria de deixar claro: EU AMO TODOS VOCÊS, de verdade! ♥
Espero que continuem a fazer parte da minha vida ...... Beijos pra todos!

quinta-feira, dezembro 23, 2010

Pôr-de-Sol




Basta-me um pôr-de-Sol para que venha em minha mente tudo o que espero esquecer. E esqueço-me, por alguns instantes, que essa jornada de esquecimento certamente fracassará. Um céu bonito, um ipê amarelo, lembranças e duas vidas. Hábitos, necessidades e olhares. Passos, ora rápidos ora lentos. De quem tem algum destino, de quem anda sem ele. Chegadas, partidas, ruas, caminhos. Crianças brincam, as luzes piscam dentro das casas com enfeites de final de ano, pássaros voam de volta pra casa e o Sol continua se pôr. Uma brisa serena bate, as folhas das palmeiras mexem-se, tímidas, como que tentando não chamar a atenção, apesar de sua imponente estatura. O céu vai perdendo a cor, a claridade. As nuvens enfeitam-se com os últimos raios solares. A vida segue seu rumo, continua percorrendo o tempo. E eu continuo tentando apagar da mente o que outrora fez-me tão feliz. Saturo minha alma de dúvidas, perguntas sem resposta. Perco meu tempo nesses becos sem saída. Tempo este, que jamais irá voltar a me pertencer ...

quarta-feira, dezembro 22, 2010

A Despedida




Odeio ter que despedir-me. Mas toda vez é assim. Você vem, fica, e ambos queremos que o tempo pare. Ele não é gentil, não para nem por um segundo sequer. E das nossas bocas sai um doído "Tchau" ou "Até logo", enquanto os olhos têm sede do olhar um do outro e se distanciam por pura obrigação. É tão bom estarmos juntos, mas a despedida faz com que isso se torne algo que deva-se temer. Não pelo reencontro, mas pela dor da despedida. E depois de matarmos a saudade, ela invade-nos uma vez mais, fazendo com que os pensamentos fiquem longe. Fazendo com que percamos algumas horas de sono. Fazendo com que nossos corações acelerem-se ao ouvir o nome um do outro. Um arrepio que sobe. Um frio em seu melhor jeito.


"Não olhe pra trás (odeio despedidas)
Diga até mais!
Mesmo se for adeus"
Até Mais - Engenheiros do Hawaii

segunda-feira, dezembro 20, 2010

Cruelmente doce





Era manhã do primeiro dia de outono. Algumas flores ainda permaneciam intactas e os pássaros cantavam alegremente em torno do jardim. Assobiavam e brincavam como numa bela sinfonia. As flores que caiam enfeitavam o ar e a estrada que passava ao lado do jardim, fazendo com que tudo fosse ainda mais belo e resplandecesse sob a luz empalidecida de uma manhã cinzenta de chuva. O verão já tinha ido embora e o frio se tornava mais pertinente. O que parecia não incomodar os saltitantes e contentes passarinhos, que voavam e dançavam e cantavam como num lindo musical. A vida parecia ser tão mais simples vendo aquele espetáculo .... Mas, não seria vida se não tivesse seus problemas. Ela é doce, cruel. Docemente cruel! E ainda assim, amamos vivê-la, principalmente se tivermos ao lado quem tanto amamos ......

Por nós




22 de Novembro de 2010


Algo tão lindo quanto o amor acabou de invadir-me: a esperança! Senti agora aquele frio na barriga de saber que tudo está tão perto de se concretizar .... Ah! te amo tanto. Tanto que nem sei se é saudável. Amo verdadeira, profunda e docemente. Sim, eu amo você. Como jamais tive capacidade de amar outro alguém. Um carinho sem precedentes, sem meio nem fim, só início. E eu sei que será dura nossa empreitada rumo ao futuro, nosso investimento um no outro. Mas de algo tenho plena certeza: JAMAIS te esquecerei. Você sempre será meu grande amor. E mesmo que não saia como planejado, que nada dê certo, eu seguirei torcendo por ti, por nós.

Densa e desconhecida



28/11/2010

Em cantos e cantorias sentia tua presença vibrando por entre minhas emoções mais bonitas, mais cheias de vida. Eu sabia que era verão, mas era como se a primavera tivesse voltado e fizesse com que eu me perdesse por entre aqueles caminhos sinuosos. Caminhos que me perdi e nem voltei mais. Eu me agarrava às árvores que encontrava pelo caminho como se algo fosse me puxar para fora daquela linda lembrança. E era verdade! A realidade não era muito favorável à minha nostalgia. Estava eu imersa em desconhecimento do que realmente acontecia. Apenas pequeníssimos sinais, que quase nunca apareciam, quase sempre imperceptíveis. Era estranho sonhar, acordar, estar lá e não estar. Ouvir você sussurrando as músicas que mais amamos era como estar saindo desse estado de espírito tão tranquilizador e começar a andar por entre uma floresta densa e virgem. Nenhuma pessoa conseguiu chegar lá, creio eu. E sendo eu a primeira, deveria ter feito um mapa indicando por onde ir. Mas egoísta como sou, te quis só pra mim (e devo confessar que ainda te quero!). Eu vi em teus lábios, teus olhos, toda luz, todo amor que eu poderia doar.

Um outro alguém em mim mesma




Outubro/Novembro de 2010


Estou mentindo para mim mesma. A quem quero enganar? O meu remédio não está aqui e nem em qualquer outro lugar. Eu tentei, me esforcei para me enquadrar, ser a perfeitinha, ser a querida entre todos. Mas não adiantou muito, e só agora eu pude perceber que acabei me prendendo aonde eu não queria nem estar. Me senti confortável por alguns momentos. Foram bons e felizes. Mas a minha realidade interior está me chamando para outro lado. O meu verdadeiro ser, as minhas vontades, o meu eu em mim mesma. Meu coração, minha mente, minha atenção, meus olhos. Eu queria ter sido mais forte para suportar todas as coisas e seguir em frente sem me dar ouvidos. Mas eu estou gritando comigo mesma! Não consigo mais, não suporto, não vejo saída. A morte seria muito fácil ... e a vida não me daria essa moleza. Ela sabe o quanto sou fraca e covarde. Nem de tirar minha própria vida sou capaz. E sinto a distância, entre os dois mundos. Quisera eu pudesse voar pra bem longe, recomeçar, dar um game over nesta vida e começar alguma outra, nova em folha e em espírito. Não dever explicações a alguém dentro de minha própria casa. Ser mais livre e saber o que ocorre em minha vida. E que os comentários sobre ela ficassem guardados. Ninguém tentando me mostrar o que eu devo fazer pura e simplesmente para satisfação desse terceiro. Eu cansei-me de ter que fazer tudo aquilo que me obrigam. Sei que sou nova e devo muitas coisas, mas também tenho minhas vontades e plena consciência de onde minhas escolhas vão me levar! Só queria ter o apoio e compreensão para conseguir dizer tudo o que penso ... mas sei que não vou tê-los, nem hoje e nem num futuro qualquer. Ficarão contra mim e só eu sei o quanto isso vai me derrubar. Desistir não irei, mas ficarei presa num espaço-tempo doloroso como das outras vezes. Calar-me e esperar é o único meio viável que vejo agora. E quando me sentir preparada seguirei naquele caminho. Sem dizer aonde vou, só como me sinto. Na paz de um voo só, na pressão de uma outra obrigação.
I WON'T CARE ABOUT IT ANYMORE!

sábado, dezembro 18, 2010

Incontestável, indubitável





Do modo como você fala, o teu jeito, o teu beijo. Perco o ar, as noites tornam-se infinitas e insone. Eu desperto, a cada lembrança, uma emoção única que só posso sentir ao teu lado. Saudade, saudade, saudade. Um dia e tudo se torna saudade. E meu coração transborda em sentimentos à cada vez que escuto o teu nome. E tua voz pelo telefone faz aumentar o que parecia ser tão pequeno. Verdades incontestáveis e indubitáveis, que me seguem e fazem com que você seja o meu abrigo. Um medo, uma incerteza que sana-se quando estou ao teu lado. E teu sorriso abre-me os olhos e o pulmão, vejo e respiro o que vem de você. Absorvo todas as palavras, com ou sem sentido. E os momentos hão de perpetuar-se em mim.


"E aquele sentimento que era passageiro, não acaba mais ..."
Números - Engenheiros do Hawaii

segunda-feira, dezembro 13, 2010

A diferença



12/12/2010

Já nem sei mais como são os meus dias sem você. Acho que os sobrevivo. Pois viver, é somente quando estou contigo. E agora não o tenho aqui comigo. Sei que quando encontrar-te novamente meu coração pulsará, meus olhos brilharão e minha temperatura oscilará. E a expectativa de mais uma vez poder te tocar é que se torna o meu ar. E é por você que vivo. E se um dia se for, continuarei viva. A única diferença vai ficar no prefixo de vivo (sua enorme diferença entre vivo e sobrevivo. Com você, certamente vivo .... sem você, cabe-me sobreviver). Quero a felicidade que abriga-se em teu beijo e em cada sorriso, mesmo que por essa felicidade eu tenha que enfrentar quem eu menos devia.
"Se viver fosse viver sem você, que bom seria
Mas não dá mais pra viver sem você, nem mais um dia ...."
Nem mais um dia - Engenheiros do Hawaii

We



"O tempo bem que podia parar!" É verdade ... Bem que ele podia ter parado naquele momento. Mas como não nos é possível controlá-lo, o que nos ocorreu perpetua-se em lugares que raramente nós mesmos temos acesso. O teu olhar, tua pele, tua respiração, levavam-me por novos lugares, os quais sempre quis conhecer mesmo na incerteza de sua existência. 
"If you want, I want too" Bem que eu queria saber a tua vontade própria. Não sei se agrado e é o que mais quero. Mas para que isso ocorra, definitivamente necessito que me digas!
Ora, eu amo você! E tudo o que vem de ti, que tu quiseres, sou eu quem quero. E sou eu quem deve dizer: "If you want, I want too!"


Close your eyes. Would you trust me? 'Cause I want to take you everywhere I go!
Please, follow my steps and I promise you won't regret ....
But don't deny us.

Through the dark



Another day passed by. Now I'm living through this dark night. Shadows from my past, from my dreams are covering all around me. I wake up and scream intending that somebody can hear me. But is too much harder than I thought it would be. Lonely, nobody near, everything seems to be so far away from my life. And I could die right now, nobody would miss me. And even when the night is free to walk on, there are somebody making sure that your life is worse than it would ever be. You feel your life becoming a kind of hell, all alone. Keep trying to see what to do, a best way to make everybody sure that you are not caring at all. All in all, nobody misses me the way I miss myself.


Everything they want from me they won't get.
I'm making sure that I'm leaving it completely and nobody will be stuck by the shadows I left on my way home.

domingo, dezembro 12, 2010

O que perdemos



O que todos tememos sempre acontece. E em homenagem a quem se foi, agora escrevo. Vivemos uma vida tão cheia de problemas mas queremos ter sempre a chama da vida acesa em nosso peito e brilhando em nosso olhar. É fato que sempre nos deparamos com adversidades que jamais poderemos vencê-las ou aliviá-las. Agora sentimos uma dor terrível, mas sei que será aliviada pelo fato de Deus consolar-nos e que toda a dor se foi junto com a vida. Minha vó .... Uma mãe duas vezes. As avós são tão doces, meigas e conversantes ..... Sentirei, não só eu, mas todos os que viviam ao redor daquela criatura dócil e amável, uma falta que não poderá ser suprida por qualquer outra pessoa. Ela, mesmo com todos os problemas muito difíceis, sempre abria um sorriso pra quem fosse que chegasse até sua presença. Ah vó! ........... Sentirei tanto a tua falta como nunca imaginei! Eu te amo e estará sempre em meu coração.
Que Deus nos dê forças, pois sua vida se foi, mas estará pra sempre viva em nossos corações!



Te amamos hoje e sempre, minha avó!
12 de Dezembro de 2010, 21:42.
Adeus minha amada vózinha .....

quinta-feira, dezembro 09, 2010

I'm Loving You



I was stuck. I couldn't go right, left, up or down. I tried to move on, to keep walking, but nothing worked. I felt the breeze coming up on my face and my hair being thrown through the trees. I felt the shiver on my skin. I knew you were there, somewhere I couldn't see. But I could feel you, your breathing, my heart pulsing. And I took a look around just to be sure that I would find you anyway. But you ran away and I even don't know why. I carefully reviewed all my steps to find out what went wrong with us. I got tired. I don't know anymore. I can't see what happened, what made you have to say goodbye. And I'm still loving you ...

"Love, only love
Can break down the wall someday"
Still loving you - Scorpions

Não se apagará



Descobri que te amo não por ter que provar pra alguém, não por ter que dizer isso em tantas maneiras que nem sei mais quantas foram. Não precisei perder ou recobrar a conciência. Eu apenas o senti surgindo toda vez que eu te encontrava. Teus olhos faziam com que os caminhos conhecido fechassem-se e abriam outros caminhos, em profundo desconhecimento. E eu não sei mais o que fazer para conseguir me achar lá dentro. E perdida vou, sem que tua boca me sussurre por onde ir. Tu és a minha sina, e desejado também és. E quanto mais eu tento me achar, mais consigo perder-me em teu olhar que me prende encantando-me. A única luz é a do teu olhar, e ela é insuficiente ainda para levar-me até o final da estrada. Mas nem a estrada certa eu sei qual é. Entretanto, seguirei na jornada até chegar aonde quero. Porque o amor esperará e fará com que meu desejo por ti não se apague.

O meu desejo por você é tão forte, é tão vibrante e toma conta dos meus pensamentos.
Ele me segue por onde quer que eu vá, em qualquer lugar, a qualquer hora.
Desoncentro-me de tudo ao redor e é em você que minha cabeça está.
E é cada vez mais claro que não posso negar.

quarta-feira, dezembro 08, 2010

Empty



Uma bossa mal escrita. Canções mal traduzidas. Vozes sem tom. Instrumentos desafinados e um bar de um esquina qualquer. Os dias que se passam rapidamente e noites lentas. Lentas que chegam a parar num vão de luz. Vozes que percorrem o vazio dum cérebro que viaja pra longe sem sair do lugar. Cores e sons indefinidos que voam ao longe e não chegam a lugar algum. Ficam estagnados entre uma linha divisória de mundos, a qual não conseguem transpor. Procuram abrigo em vão. Mas é só uma noite comum, numa cidade comum, com gente comum. Todos superficiais em sua superficialidade e formalidade desnecessários. E sigo em frente, tentando mostrar que sou diferente e que tenho o algo mais que falta na maioria.
  
"Nas grandes cidades de um país tão violento
Os muros e as grades nos protegem de quase tudo
Mas o quase tudo quase sempre é quase nada
E nada nos protege de uma vida sem sentido"
Muros e Grades - Engenheiros do Hawaii

terça-feira, dezembro 07, 2010

À luz do Sol



Uma escolha. Duas vidas. Uma saída. Entrada desconhecida. Eu virei-me para enxergar o horizonte que estendia-se diante de meus olhos tão pequenos e confusos. Eles viam o que queriam e passava despercebida toda verdade. Eles notavam os tons de laranja no céu que corria pelo olhar perdido na imensidão do horizonte. Brilhando à luz flamejante do Sol incandescente, sorriam ao contemplar tamanha beleza. Mas não era só isso que fazia com que sorrissem. Eles também viam, ao lembrar, todo amor que ali foi expresso, jurado. Sentiam mais uma vez como era estarem vivos, acesos, radiantes. O vento que batia derrubando as frágeis folhas também levavam à mente algumas outras lembranças. E tudo era saudade ....

A luz iluminava, aquecia e fazia a saudade brotar do mais profundo ...

segunda-feira, dezembro 06, 2010

Em fotos



Te escrevo, escrevo em fotos, em qualquer lugar. Com uma ou outra caneta, de uma ou outra cor. E viajo por outra dimensão, no meu próprio universo que busca água para saciar sua grande sede. Inebriando-se em teus lábios, buscando teu afago e afeto. E mesmo que não faça sentido buscar-te, minto e digo-me, convenço-me de que é extremamente necessário. Enganando-me ao pensar que vai dar certo. Que você está do outro lado da linha divisória entre o meu mundo e o que é real. Pensando que nada vai dar errado e que posso seguir em completa paz. E o que me dá tanta tranquilidade, tira-me-a com maior facilidade.

Cenas



2h00min

É como tentar negar que o ar não existe quando digo a mim mesma que não te amo. É verdade também que não era bem o que eu queria sentir. Mas mandar em sentimento é impossível pra qualquer um. Assim, pergunto-me a todo e qualquer momento e em qualquer lugar, qual será o destino deste amor que possuo em tão doce harmonia com os meus pensamentos, em perfeita simetria com tudo o que diz respeito a você. E paro em frente ao espelho e vejo em meu reflexo dois olhos que brilham só de pensar no teu nome. Deito na cama e só no que consigo pensar é em nós dois, em tardes que se perpetuam em minha mente. As cenas que passam e se repetem a todo instante vão comigo a qualquer lugar. Pertinentes à uma cabeça pensante, cheia de planos, sonhos e medos. E quanto mais eu tento esquecer, me distrair, mais fortes e marcantes teus traços tonam-se. As canções que não me canso de escutar, os lugares que vou procurar refúgio, tudo me faz lembrar: eu te amo!

À sete chaves



23/10/11

Eu estava cega naquela montanha. Eu havia perdido-me e nem sabia por onde eu tinha vindo. Neblina, neve, vento, frio, solidão, um toque de culpa, um pouco de dó própria. Ri-me do absurdo, senti um vento mudo, sozinha eu caí. Desfaleci no vão da noite, na dor do frio. Senti frio e dor e vazio, senti meus pulsos e meu sangue correndo lento pelo corpo quase que totalmente congelado, senti-me viva quando a necessidade de sobreviver bateu em minha porta. Tentei para o processo de auto-flagelação, de auto-apiedação. Corri na escuridão, busquei uma razão para seguir sem desistir. Habitei a memória, a saudade, o amor que deixei para trás por algo que nem era exato. Confiei no erro, desconfiei do certo. Busquei, em vão, algo melhor. Mas completo de verdade, era só o amor que eu podia sentir. E eu não o quis. Não o quis por medo, por vergonha, por besteira. Fui trancar-me à sete chaves no abismo da solidão. E que o descansar agora fosse longo o suficiente para esquecer-me dos arrependimentos. Que quando eu despertasse fosse uma nublada manhã de outono, com um bom chá ao lado da cama.

Tempos ruins, eu acho .... rs!

Inconsequente



Apenas escutando tua respiração, eu segui em frente com descomunal sede. Eu segurei a minha para ficar escutando apenas a tua. Estava quente, mas àquela hora já nem me importava com o que estava acontecendo ao redor. Eu só queria teus lábios, teu gosto, teu abraço. E foi como estar me reapaixonando a cada olhar. E eu tentava olhar pra outra direção qualquer, uma janela, mas como um imã teus olhos atraíram-me, e fiquei presa por horas em tua armadilha mortal. E eu mesma não quis sair depois de estar lá dentro. Foi como se o mundo inteiro tivesse congelado esperando que nós dois terminássemos o que estávamos fazendo. Ah! Eu queria sentir tudo de novo, desde o começo, e refazer as marcas que você deixou em mim inconsequentemente.

Num clima quase perfeito, nuvens e um borrão de Sol no céu, era só de você que eu precisava!

sexta-feira, dezembro 03, 2010

Todas as tempestades



Me arrancaste um sorriso e um jeito de olhar como nunca mais havia sorrido e olhado. Foi leve, suave e intenso. Não havia explicação. Eu só sentia. E sentia também aquele frio que cortava-me por dentro, dilacerando a alma e apenas um desejo percorria desde o coração até a alma, refletindo nas mãos tremulas e frias. Como foi bom ter você ao meu lado, segurando minhas mãos enquanto eu tentava acalmar a tsunami que vinha e voltava a cada segundo dentro de mim. Era como se todas as tempestades tivessem concentrado-se aqui dentro. Mas era puramente alegria, felicidade, emoção, sonho realizado, seja apenas um desses ou todos juntos e mais algumas coisas, foi maravilhoso o que senti! Eu estava feliz, e teus sorrisos me faziam sorrir e sonhar acordada. Era maravilhoso e as palavras descritivas se esgotaram. Apenas minhas lembranças e o coração puderam saber o que era, como era .....

Sei que não deveria estar dizendo tão claramente, mas és tudo o que sempre sonhei e quis!
"Come Together" - The Beatles

quarta-feira, dezembro 01, 2010

No answers



Eu andei procurando respostas nos lugares errados. E agora eu me perdi e não sei como voltar. Tem volta será? Não conheço ainda. Nem sei se acharei. Estou me sentindo totalmente perdida, tentando achar algum lugar pra chamar de lar. Não é sabido, conhecido, tal lugar. Eu sei que digo estar aqui, escrevendo, mas será que realmente estou? Estou aqui ou lá? Onde estarei eu daqui a um segundo? Como saber ..... se nem sei aonde estou neste exato momento!? Queria respostas, porém as dúvidas são mais pertinentes do que imaginei que poderiam ser. Quando olho pra trás e não vejo mais meu rastro pelo caminho ...... Eu já não sei aonde ir, o que fazer, o que ser, o que querer. Um ou outro, este ou aquele. Tantas coisas ...... E ninguém para ajudar-me, ninguém para segurar minhas mãos e dizer 'estou contigo, vamos seguir juntos não este caminho, mas aquele que é melhor'. Não me dizem o que fazer, como fazer, o que esperar. No answers, only questions. Me diz, por favor, o que realmente esperar! Por favor, diga-me se é sensato prosseguir assim ou se é melhor eu achar-me por mim mesma e continuar seguindo sem ajuda. Por enquanto eu não sei. Mas, por precaução, já vou seguindo sozinha. Se quiseres, acompanhe-me, mas apenas se realmente desejares prosseguir comigo. Do contrário, dê meia volta e siga o teu caminho de origem. E se um dia nos cruzarmos, um oi bastará por nós dois.
Ao som de Pink Floyd.
"Wearing the Inside Out" (Vestido às avessas)