quinta-feira, dezembro 30, 2010

Pensamento distante







27/12/2010


A beleza dos teus olhos que me segue. A luz que ilumina tanto por tão pouco tempo. O Sol que brilhava ontem, hoje já está escondido. As noites se tornam imensas e os dias passam ainda mais lentos. As nuvens retêm os raios de Sol, deixando apenas uma luz tênue e cinzenta. Os dias que costumavam passar em tão pouco tempo tornaram-se infinitos de alguma forma. Ou então vivo dias seguidos achando que ainda é o mesmo. Perdi-me no espaço tempo. Já não sei que horas são, em que dia estou. Eu sinto emoções variadas. Ora saudade, ora medo, ora não sei como eu deveria estar me sentindo ou me portando. Eu apenas vejo, na luz fraca, algo que faz com que eu não sinta a confiança que outrora encheu de vida e expectativa um olhar perdido entre a linha do horizonte e o Sol a se pôr. Não sei se estou certa, nunca sei. Minha dúvida castiga-me, assim como já expus tantas outras vezes que já nem sei quantas. Mas eu seguirei, com ou sem dúvida, com ou sem certeza. Pois meu olhar não se resume ao horizonte.

Nenhum comentário:

Postar um comentário