sexta-feira, janeiro 06, 2012

Saudade e Promessa




06/01/2012
Escrevo-te à mão
Em prosa e verso
Debulhados de emoção
Em memórias me disperso

Vou contornando os teus traços
Cheios de fascínio
Imaginando-te em meus braços
Dando-te todo o meu amor e carinho

Mergulhada em saudade
Busco tuas mãos
Como naquela linda tarde
Em que pude sentir tua proteção

Prometo não esquecer nenhum momento
Pois não consigo
E quero que tenha isso como juramento:
Amo você, e aonde quer que eu vá levar-te-ei comigo


É contigo que eu devo estar
Meu lugar é ao teu lado
Pertenço a você
Assim como as árvores pertencem ao solo
 

Minha vida

 


06/01/2012
A grandeza deste céu negro de algumas estrelas me fascina: ao mesmo tempo em que me observa, observa também quem meus braços gostariam de guardar. Já as nuvens me trazem certa decepção, pois carregam consigo a chuva, mas não me trazem quem me faz sobreviver. Mas ao menos confortam de alguma forma.
As tempestades lembram-me da intensidade com que te amei enquanto pude ter você comigo, e lembram-me da intensidade com que te amo ainda mais ao reviver isso em minhas memórias. Os chuviscos, calmos, silentes me trazem a saudade de não poder nem ao menos ver a tua beleza e encanto que são deleite para meus olhos sedentos de ti; mas essa calmaria também me faz lembrar que logo estarei contigo. Onde nem céu, nem terra, nem mar estarão distanciando-nos. Quando nem mesmo a brisa conseguirá passar por entre nossos corpos aquecidos um pelo outro. Onde o beijo silenciará a saudade e as únicas lágrimas que descerão serão de alegria intensa e viva.
Querido, eu gostaria de poder mostrar mais e melhor o que eu sinto. Mas minhas únicas amigas são essas palavras, para as quais tento dar novos sentidos e formatos. Restam-me apenas letras, que juntas faço com que expressem da melhor forma possível o verdadeiro sentido da minha vida. Vivo para compartilhar minha vida contigo e ninguém mais. Não teria sentido se assim não fosse.


Eu te amo, meu amor, minha vida!

domingo, janeiro 01, 2012

Nota de rodapé sobre tradições de final de ano





01/01/2012
E mais um dia se foi, somando dias à nossa existência. Reza a lenda ser outro ano. A diferença é tão pouca de ontem pra hoje que ousaria dizer ser inexistente. A solidão continua a mesma, a saudade maior, o pôr-do-sol é o mesmo, o cantar dos pássaros, as casas, as pessoas, tudo ainda continua a ser como era ontem. As mudanças podem ocorrer, por que não? Mas não será do dia para o outro. É preciso tempo, planejamento, força de vontade. Não é fácil mudar velhos hábitos.
É preciso acreditar em algo melhor para que a vida não perca o sentido, é verdade. Não digo para pararem de sonhar. Eu mesma sonho todos os dias. Mas não consigo aceitar que as pessoas procrastinem mudança. Quantas vezes não ouvi estórias de que alguém esperaria o próximo ano ou certa coisa acontecer para fazer alguma mudança. Quantas vezes eu mesma já disse isso? Dependendo do que se quer mudar, realmente é preciso esperar. Mas por que fazer isso quando nada impede que você mude agora? Não faz sentido. Eu só queria que de vez em quando as pessoas parassem de depender de alguma data pra decidir fazer coisas que farão bem a elas mesmas. E se elas acham importante esperar, mas sabem que não vão realmente mudar, se esforcem realmente e não digam tudo apenas da boca pra fora.