domingo, agosto 29, 2010

Um passado com fim, embora sem começo


Aquela emoção que sentia ao ver-te, foi aos poucos se dissipando junto com essa densa neblina. A explosão de alegria e coisas boas que de mim fluíam em tua presença, foram tomadas por uma leve brisa dum olhar. O mesmo que outrora enfeitiçara-me, agora dá-me para degustar o amargo de se perder o que nunca tivera.
No início, que só a mim pertenceu, eram cores, brilho, alegria, amor. Neste final, são apenas escuridão, solidão, dor. E aquele velho amor que latejará sempre que eu ouvir o teu nome, a tua voz.

sexta-feira, agosto 27, 2010

Aconteceu, nada mais


Oh Senhor! Até quando ficarei assim ? Viro e reviro em minha cama à procura de algum conforto, mas só o que encontro são espinhos e abrolhos. Finjo que está tudo certo, é normal se sentir assim de vez em quando. Enquanto na verdade, todas essas sensações queimam juntas em um fogo ardente, que queima-me e despedaçam-se em pequenas partes irremendáveis. Desvanece-se meu coração aos poucos e lentamente aquele vazio vai tomando forma. "A tua imagem e perfeição, segue comigo e me dá a direção" (HG). Mas agora me sinto tão perdida, que nem sei pra onde olhar ... Desmancham-se minha carne e meus ossos, por ter que suportar tantas lágrimas guardadas dentro de um peito tão pequeno. Era apenas uma saída de casa, um passeio normal ...
Posso ter procurado, ou não. Apenas aconteceu.  Bonita era a época em que eu pensava amar alguém, enquanto na verdade eram coisas de uma criança boba querendo atenção. Agora o que sinto, pode não ser a coisa mais madura ou mais adulta, mas a garantia de que não é infantil como costumava ser, isso eu posso afirmar.
Como não sentir-se angustiada ? A vontade de gritar é tão imensa, enquanto só o que posso oferecer é um nó na garganta, de tanto segurar meus anseios só pra mim. De tanto te desejar, só consigo te sentir cada vez mais longe ... A cada segundo que passa, que o mundo dá mais uma volta de rotina, eu me afogo. Não em solidão, pois quem eu realmente preciso está sempre do meu lado, mas sim em uma agonia. Uma falta de ar. A falta de uma caminhada por uma estrada menos sinuosa e mais segura. Faltam-me palavras, ou conhecimento delas, para expressar-me como eu realmente desejaria. Falta-me fôlego pra sair bem ao tentar ter o afago de um desabafo.

Posso estar sendo enjuada, melosa e chata ... mas sinceramente, não vi outro meio de aliviar pelo menos 0,000...1 do que está preso em mim.

terça-feira, agosto 17, 2010

Records


Essa luz pálida pela qual o dia amanheceu me trouxe algumas recordações
As mesmas pelas quais me vi ontem a pensar
O Sol, que já não brilha mais como costumava, me trouxe cheiros e particularidades de um mundo para o qual não posso retornar, a não ser pelo fato de que continuam gravados em minha mente
Um mundo que ficou preso numa outra dimensão, um universo paralelo, ou algo assim
E como não recordar aqueles dias ? O cheiro é doce como o mel. As sensações não mudam, sempre sinto um calafrio ao relembrar que já presenciei momentos tão felizes
Nostalgicamente sinto falta daqueles dias, sinto que as lembranças contagiam-me e contagiam tudo ao redor
Clarões de luz passam em minha mente e se refletem nas paredes da casa, como que de algum modo eu estivesse voltando àquela época
Mas tudo não passa de lembranças ... Perdidas no tempo sim, mas vivas no meu pensamento

Fraqueza

18.05.2010


Eu busco procurar o teu olhar em cada canto
Respiro o teu cheiro, isso é meu ar
Fotos e vídeos
Tudo o que passamos está gravado
Em algum lugar vai continuar a existir todas estas memórias
Posso sentir a tua presença, mesmo estando tão longe
Você está presente em mim
Isso é o que me alegra, me conforta, enlouquece e deprime
Jurei não fazer isso comigo mesma
Mas pareço ser mais fraca do que imaginei
Me entreguei de novo
Não lutei, não resisti
Eu nem mesmo me esforcei
Agora pago o preço o preço por ter sido fraca
Por deixar que isso continuasse, pago em triplo, em dor
Dores que me sufocam
E a cada dia parecem piorar
Me apego à você só por recordar e reviver os instantes em que juntos estivemos
E reafirmo minha fraqueza
Ela é quem me faz ser assim
Se torna inevitável pra mim tentar contrariar

domingo, agosto 15, 2010

Loucura (ou amor)



Um mundo perfeito, o meu mundo em torno do seu
Como queria eu poder expressar-me, mas mata-me o medo do teu distanciamento
Sim, mata-me tudo o que envolve o teu nome. E só de ouvir soar essas quatro letras em conjunto, reações químicas no meu corpo, ainda em formação, afloram à uma pele suada por um nervosismo incontrolável, difícil de explicar
Deus, o que eu fiz de tão insano, onde eu errei ?
Sei que está em minhas mãos continuar ou não. Mas meu coração, burro e estúpido, prefere acreditar que tudo vai dar certo e que um dia ficaremos juntos. Coração que segue sem direção e sem rumo, tentando achar em outros o que só acho em você. Que não segue às ordens mais claras e racionais que meu cérebro, de fato, ordena. Meu coração parece totalmente independente do meu ser pensante e racional ! Insano, insano, insano ... Onde foi parar todo o meu racionalismo ? Maldita seja toda a ternura desse sentimento louco e cego.
Aaaah sim, o amor é louco. Na verdade não há muita diferença entre os dois, né ? Creio que não ... Você se torna outra pessoa quando ama. Tudo se torna tão mais bonito, o mundo sangrento, sujo e desgastante no qual vivemos parece até mais bonito e alegre ! Se isso não for loucura, detenham-me, pois não vivo neste planeta !
E mesmo eu sabendo de tudo isso, continuo sentindo essa coisa que não sai de mim, por mais que o tempo passe ... Amor, amor, amor ... um dia mata-me essa prazerosa dor.

sexta-feira, agosto 13, 2010

Saudade


Sim, doeu
Corroeu-me por dentro saber que de você ainda restariam memórias e saudade
E como foi ruim ter que te ver saindo da minha vida tão lentamente
Como me destrói todas as lembranças dos momentos que tivemos e que foram todos jogados numa fogueira, e depois o vento as levou junto com as cinzas
Me faço de forte para esconder a fraqueza que habita todo o meu ser
E bem, me tranco no meu quarto e me ponho a escrever só para não carregar essa dor sozinha ... E me deito. Viro e reviro as emoções, os cheiros e tudo que lembra o teu nome, num momento de saudade desesperada. Rebusco na memória todas as coisas que te vi fazer, todas as que eu admirei, todas as que eu queria ter vivido contigo
Ah se tu soubesses como arde isso no meu peito
Essa ansiedade de poder te contar tudo, de poder dizer à você, com toda franqueza, o que tento mostrar há tanto tempo
Agora vai fazer quase um ano que nos conhecemos, e eu ainda lembro da tua roupa, do teu olhar, do teu jeito tão atencioso enquanto conversávamos pela primeira vez
Um dia que não vai voltar, mas sempre estará aqui .. Pois de ti, não guardo apenas lembranças, guardo detalhes e saudade
E podem me julgar como queiram, mas eu ainda o amo !!

Loba Solitária


Tudo muda em tão pouco tempo
Pouco a pouco, me fecho em um universo paralelo
Um mundo com barreiras e muros intransponíveis, que nem mesmo o amor consegue ultrapassar
Vou me resumindo a viver apenas o que há no meu íntimo
E o que há lá ? ... Eis uma excelente pergunta !
Eu mesma não consigo enxergar nada além de uma profunda escuridão
Está frio ... Parece uma caverna, vazia ... Talvez esse seja o meu momento mais estranho
Talvez o mais comum. Ah ! Não sei bem o que fazer, nem se deveria tentar fazer algo
Só acho que tenho uma vida tão imensa pela frente, uma vida ...
E o que ela vale eu ainda não sei, mas pretendo descobrir. E sei que isso pode demorar e vai requerer de mim esforço. Que isso valha à pena enquanto eu ainda respirar ...
Não preciso de alguém pra me acompanhar neste caminho, só preciso de um pouco mais de autosuficiência. E isso me bastará, pois evitarei dores e desafetos, mágoas e saudades ...

Goodbye Forever


Yes, I know what is to feel alone.
Baby, I already felt it, I was in your place a long time before
But you tought me how to go on with no love
You ignored me when I needed you the most
And now you regret everything you've done to me and scream my name from the darkness
Oh dear, how could you know that life is so hard ?
Love, you'll pay every tear you made me cry
Darling, is not a revenge ... But only heaven and moon know what I passed when you weren't here
I called you, but you were too busy for me ...
So now, the hurt here is not me anymore, but someone that made me feel in the worst way ever ...
Goodbye forever ...

Apenas um Caminho



Apenas um caminho, sim apenas vejo um caminho ... Será que ele me leva pra algum lugar bom? Será que eu deveria estar seguindo-o? Deveria eu estar aqui? Ainda não sei, mas se quero descobrir algo, melhor não perder tempo. Tenho que correr e percorrer esses caminhos que, obviamente, me levarão a algum lugar. E se quero descobrir logo que lugar é esse, melhor me apressar ...
Passos e uma longa caminhada acompanhada por pequenas corridas ...
...
Estou andando há tanto tempo. Já nem sei quanto tempo faz... Já andei, já corri e nem mesmo parei pra descansar e aproveitar toda essa beleza que me rodeia... Desfaleci percorrendo esse lugar. Agora me deito para um descanso profundo e eterno... Minha vida se foi junto com todo o esforço e suor que derramei.
...

quinta-feira, agosto 12, 2010

Companheira da Noite


A noite passa e os pensamentos vão e vem, como as ondas do mar
Uma cachoeira de reflexões, um rio de emoções, cheiros e suas lembranças, se formam numa cabeça a qual o corpo a que pertence só quer dormir
Mas o mar de pensamentos está agitado demais, a corrente do rio de emoções e saudades está impulsivamente forte
E num ato automático, eu me levanto e abandono todo o calor e aconchego da minha cama para tentar amenizar todo esse turbilhão interno, dividindo-o mais uma vez com uma folha de caderno qualquer
Mas agora, a mão que escreve para aliviar, acaricia outra vida dependente
Vida essa que nada te pode dar em troca, a não ser o calor de seu pequeno corpo em contato com o meu
Uma compania disposta a passar as horas gélidas da noite ao lado, mesmo sem dizer uma palavra sequer
E que me olha com olhos de extrema carência inocente, uma flor ainda por se abrir, um botão que não possui nenhuma consciência de sua beleza extrema e delicada
A minha companheira ideal, que de tão fofa, delicada, independente e irracional, arrancou de mim carinho e afeto
Amor do mais puro e genuíno, pois nada dela posso esperar de volta, pois é apenas uma vida que depende de mim para sobreviver ...

Foi em Vão ...


Eu procurei palavras para descreverem-lhe
Procurei estrelas para te dar
Procurei você em todos os lugar, olhei em todos os cantos
Em cada parte da casa tentei lhe achar
Mas foi em vão olhar pra fora de mim, pois você não estava em lugar algum a não ser aqui dentro de mim
Foi inútil tentar achar palavras, pois nenhuma descreve o carinho que tenho por ti
Foi perda de tempo procurar por estrelas para te dar, porque nenhuma tem o brilho, a beleza e o significado que tens para mim ...
O tempo pode passar, a chuva cair e o ciclo da vida continuar, mas nada apagará o que você é para mim

terça-feira, agosto 10, 2010

Medo da Tempestade


A paz dessa imensidão azul. O mar a beijar esse céu iluminado pelos raios de Sol. Céu outrora obscurecido por pesadas nuvens, com promessas de tempestade, trazendo a paz da solidão com uma leve tensão pelo medo da tempestade. Medo que se dissipou no primeiro clarão de Sol. Clarão que iluminou um pássaro que voava ao longe, solitário, na tranquilidade da brisa que o levava enquanto pairava no ar. E me trouxe imensa paz tranquila.
Mas parecia faltar algo àquele pássaro. Me deu a impressão de que ele busacava algo naquele voo. Talvez ele buscasse um refúgio, uma proteção. A paz talvez o ajude. Que o mar o proteja e que as florestas dessas ilhas desertas o alimente e o abrigue, assim como me abrigam na tensão de uma forte chuva...

Memórias Póstumas de um Coração


Havia, há algum tempo, uma estrada
Essa estrada levava a um lugar que poucas pessoas sabiam, aliás, apenas uma pessoa sabia
Essa pessoa conhecia o lugar com a palma das mãos
Não precisava nem enxergar por onde ia, ela sabia muito bem onde pisar, por onde ir
E não falava a ninguém sobre essa estrada
Fazia segredo... E nem mesmo quem fez essa estrada a conhecia tão bem
Essa pessoa, a qual aqui o nomeamos de Thomas, andava por essa estrada livremente, sempre indo e vindo, quando bem quisesse entendesse
Thomas estava sempre por aquela estrada, pois ela o levava a um lugar, que aos olhos dele, era sagrado, um santuário
O final da estrada dava em um lugar tão secreto quantos os pensamentos mais íntimos, e esse lugar é o meu coração
Apenas Thomas conhecia essa passagem, ele era o único a transitar as vias do meu coração sem se perder lá dentro
Ele habitava aquele lugar, o único que realmente chegou a conhecer esse lugar...
Mas Thomas foi retirado à força daqui de dentro
Foi embora, levando consigo a estrada e o santuário
Meu coração se foi com ele, e minha vontade de viver também
Me senti tão morta, inútil e vazia, que me desfaleci a cada segundo que passou desde que Thomas se foi
Ah querido! Por que me abandonaste de forma tão repentina, sem nem mesmo se despedir? ...
E agora, só o que restou foram memórias de uma época dourada, uma época de plena felicidade, onde a estrada e o santuário viviam cheios de vida e alegria
Uma alegria que não consigo encontrar em lugar algum, uma alegria única, a alegria de amar verdadeiramente
Agora o que resta são apenas lembranças
Apenas memórias póstumas de um coração...

A Morte de um Sonho


São tantas palavras para descrever uma sensação, mas nenhuma consegue tão bem quanto um beijo
São tantas rotinas, padrões e modismos, que por um instante chegamos a esquecer de nossos próprios desejos
A futilidade que há em volta faz com que a maioria se perca na busca para completar o vazio
Vazio por elas mesmas criado, vazio difícil de ser completado
Costumamos, quando jovens, sonhar com coisas impossíveis, que acreditamos que podemos alcançar
Mas o choque com essa bruta realidade nos faz desacreditar
E passamos a esquecer quem realmente somos, a essência que outrora sonhava na Lua, com as estrelas, e que costumava contar esses sonhos em pequenos pedaços de papel
Esquecemos que temos desejos, e que ainda temos sonhos
Pois os sonhos não podem morrer, assim como as estrelas morrem...

segunda-feira, agosto 09, 2010

Mudança


Escrevo cartas e poemas, pra mandar a alguém que tão distante se encontra
Um alguém que me dá exatamente aquilo que preciso
Que completa o meu vazio e me deixa em paz
Como um barco à vela ancorado num porto distante
Guiado pela brisa do mar, que conforta e tranqüiliza
Uma ilha longe de qualquer que se chame civilização
Longe de qualquer humanidade, numa paz indescritivelmente estabilizadora
E no horizonte há uma luz alaranjada, raios de sol que se vão pouco a pouco
Talvez procurando seu caminho para casa, eu não sei
Fazendo com que as águas do mar se tornem tais como chamas
Uma explosão de cores radiantes, de cores alegres
Alegria que outrora me abandonara e me deixara só
Um vão por dentro de toda a alma
Onde só as lágrimas permaneciam intactas, mesmo deslizando sobre essa pele branca que os raios de sol nunca chegaram a beijar
Mas agora, nesse tom incandescente, essa luz vai de encontro a minha face e posso ver quão bom é sentir o calor desse sol que fora meu inimigo há algum tempo
Mas você conseguiu mudar todos os sentidos que eram verdades absolutas para mim
Oh doce sonho, doce cavaleiro, de que castelo saíste?
Não me recordo desta encantadora beleza que possuis
Que de tão bela tira de mim a visão
Que de tão verdadeira me deixa por terra, sem saber como reagir
Ah como és belo!
Teus longos cabelos pretos, escorridos, sendo soprados pela ventania
Tua face que a pouco me enfeitiçou completamente
Conspiram contra mim os ventos do destino, que jazem agora por aqui
Nada é a favor, tudo se torna mais difícil
Como promessas feitas num momento de embriaguez
Como as flores que desabrocham na primavera, mas se secam no outono
Assim permaneço e continuo por alguma razão

Mania de Escrever

Cada pedaço de papel, cada lugar que se dê pra escrever, nada escapa à minha mão sedenta por uma eloquência a qual só eu tenho acesso... As coisas que mais gosto, as coisas que me preocupam, o que deixa-me fora do ar, enfim, todas as coisas que me rodeiam, são guardadas nos lugares mais secreto do meu íntimo, e algumas eu divido com um pedaço de papel e uma caneta, que estão sempre em minha mão. Os meus amores, não os românticos, mas pelas coisas que prezo, que respeito, são todos muito bem expostos aqui dentro, mas por fora são sempre tão subliminares... Longe de ser uma garota perfeita, longe de ser a mulher ideal, longe de toda a futilidade que nos rodeia no dia-a-dia, longe de tudo isso, vivo no meu mundo, fechado, ao qual só abro para quem quero e quem julgo capaz de entender o que digo por meio de letras.
Mas, à todos aqueles que realmente gostam de escrever e ler coisas produtivas, não aquelas coisas medíocres comuns que todo mundo lê porque tá na moda, VOLTEM SEMPRE!

PARA LONGE DE MIM PESSOAS FÚTEIS !!