sexta-feira, maio 27, 2011

The Wall




 Gama, DF                     22 de Maio de 2011

A Lua, impecável, fez como sempre fez e encheu meus olhos com tamanha beleza e grandeza. Por entre as árvores e concretos do caminho ela se escondia. Mas eu sabia que ainda estaria lá, fazendo com que a noite de alguém fosse mais bonita ou especial. Os meus olhos fitaram-na por alguns por alguns breves segundos. Quis parar em meio a noite e o pouco movimento da rua só para admirá-la. Mas as horas corriam, e os minutos voavam, e quem eu queria que estivesse ali estava tão longe que prefiri seguir meu caminho para casa.
Ah, as tolices da juventude! Odeio quando acho ser a dona da situação, enquanto esta claramente foge de mim, escapando pelos dedos. Estava tudo bem, até virem o tempo, a vida e a experiência para imporem suas regras injustas e regulares. Esses estão sempre a construírem suas muralhas para nos impedirem de seguirmos achando que somos os donos do mundo. E batemos de frente com essa solidez, muitas vezes por tentarmos quebrá-la de alguma maneita, outras vezes por ela ter se imposto tardiamente, ainda outras porquê somos jogados contra ela. Confesso que já tentei bastante quebrar essas paredes ultimamente. Porém, suas bases e dureza continuam intactas e intransponíveis. Então, decidi que o melhor a se fazer é deixá-la como está e aprender a conviver com ela. Sim, conviver até que o tempo a desintegre, a dissolva.
E depois disso, minha paz retornará. E as outras paredes que erguir-se-ão pelo caminho, serão enfim notadas. Por enquanto, deixo o tempo fazer seu trabalho ...



 "All in all you were all just bricks in the wall"



Another Brick in The Wall, pt. 3 - Pink Floyd





"Você era apenas tijolos na parede"


Tempo de Composição: 05h05 à 05h36

Nenhum comentário:

Postar um comentário