sexta-feira, outubro 07, 2011

A Decaída do Orgulho




06/10/2011                                                                                                      17h
Guardava, ela, todos os sentimentos em um calabouço escuro, no fundo da alma, onde nem os pensamentos dela atreviam-se chegar perto. Um lugar cheio de dores e pesadelos quase esquecidos. Guardava-os lá, pois achava mais seguro se ela não pudesse vê-los e morrer toda vez que isso ocorresse. Porque achava fraqueza demonstrar o que sentia. Então tudo ocorria em silêncio e ela deixava passar todas as coisas, esperando um momento que nunca chegava, até há pouco tempo...
Eis que então um nobre cavaleiro, vindo de terras distantes, conseguiu roubar-lhe um sorriso puro que há muito não se via em seu rosto empalidecido e com ele um orgulho arraigado, que permanecia durante anos aprisionando as emoções. E o sorriso foi a porta que se abriu para que os sentimentos pudessem correr livres, leves, intensos, derrubando o orgulho e seus portões e correntes. Sim, o cavaleiro conseguiu algo que a jovem moça de cabelos compridos achava impossível acontecer por agora. Ele a fez amar de novo! E então as alegrias tornaram-se muitas, e os sorrisos agora são esboçados facilmente em seus lábios. O cavaleiro a faz tão bem, que ela quer fazer o mesmo por ele. A jovem o deseja, todo o tempo. Quer-lhe bem, quer lhe dar carinho, afeto, amor, proteção, ela quer e precisa estar ao seu lado. Já se tornou necessidade o beijo, o abraço, o olhar, ainda que nunca praticados.
Sente saudades, saudade estranha que não se pode explicar. A moça de olhos marejados nunca pôde explicar o que acontece dentro de si. O coração transbordando pelos olhos e nenhuma palavra que pudesse detalhar o que se sente. Irônico, mas faltam palavras à escritora para que consiga expor seus sentimentos, que rápidos, certeiros e abundantes, não se controlam mais e ficam inquietos. Então, as melhores noites são as que ela pode sonhar com o cavaleiro, embora raramente isso aconteça em suas noites longas e saudosas. Deve ser por isso que ela agora vive longe... Deve estar sonhando com ele acordada, deve estar imaginando os dois em algum lugar onde apenas eles mesmos existam. Mas sem qualquer dúvida, está amando... Pois sim, ela o ama como jamais amou alguém!

Um comentário: