quinta-feira, setembro 29, 2011

Agradecimento e uma declaração







Às vezes as pessoas me perguntam se eu não estou exagerando ou se eu não estou levando à sério demais essa situação. Sinceramente, NÃO! Eu não estou exagerando. E estou dando a devida importância pelo que sentimos, não é nem demais e nem de menos. Não me importo o quão longe você está, meu coração apenas sente muito por não poder estar ao teu lado toda vez que me sinto só, não poder estar ao teu lado sempre que o desejo (o que implica ser o tempo inteiro). Mas ele ama assim mesmo. E ama tanto que fica dolorido, apertado quando escuto tua voz e não posso te abraçar, te olhar, te dar um beijo apaixonado (tão ou mais apaixonado do que a própria voz que tu escutas aí do outro lado). 
O detalhe péssimo da distância é apenas que não temos um contato físico ... Mas nada mais. Porque eu te amo mesmo. Tanto que não consigo ter olhos para qualquer outra pessoa. E não preciso nem te ver para saber que você também sente o mesmo que eu. Basta as horas que passamos ao telefone falando coisas bobas, que apenas nós conseguimos aguentar. E dessa forma te sinto tão próximo de mim que quase posso te tocar, mesmo sendo nos meus pensamentos e nos sonhos que vão se formando enquanto ainda estou acordada.
Ah, eu te amo como jamais amei alguém! E você consegue arrancar meus sorrisos nos piores dias. Você consegue me deixar tão bem que quase entro em êxtase. E me deixa em paz, comigo mesma, com tudo o que me rodeia ... Obrigada por ter entrado em minha vida. Obrigada. Eu te amo, amor!




O Que Eu Também Não Entendo - Jota Quest





"Essa não é mais uma carta de amor
São pensamentos soltos traduzidos em palavras
Pra que você possa entender o que eu também não entendo"

Nenhum comentário:

Postar um comentário