segunda-feira, janeiro 24, 2011

O vazio que preenches ...




Lindo se vai
Estende a mão e o sorriso;
Movendo-se suavemente cai
Uma lágrima despedindo-se.
Um aperto no peito
Vontade de não ir embora
Saber que esse teu jeito
Não se acha lá fora.
O olhar, que arrastado vira-se
Vira em outra direção
Dobrando a esquina
E nos deixa na mão.
À espera de uma outra tarde
Que nos encha de alegria
E matemos a saudade
Que já começou naquele mesmo dia.
O horizonte traz um olhar
O mesmo que ficou brilhando
Vendo você chegar,
E agora este vai pranteando.
Regando as flores do jardim
Regando a saudade que cresce
Molhando esse amor sem fim
Essa sensação que não fenece.
As flores secaram
Mas guardadas estão
Com carinho encheram
Meu cansado coração.

Com todo esse amor que não cabe no peito, escrevo em versos pra ti.
É como uma canção que, soada suavemente, atinge exatamente onde toda a saudade se concentra.
E de nada me valem palavras se não tiver você para lê-las e senti-las assim como as sinto!
Te amo, meu amor ...

Nenhum comentário:

Postar um comentário