sábado, março 26, 2011

É Estranho




Eu estava a sonhar em versos distantes, versos que outrora confundia. Por medo. Sentei à janela, tomando um bom chá, vendo a chuva cair. Sentir, pensar, ser e estar. Um beijo que faz falta, um sentido perdido, um atraso para perceber. Agora eu arrependo-me, mas eu sei conviver com isso, por enquanto. Não sei o que fazer para desligar meus pensamentos. Desligar ... Eu concentro-me em tudo que está ao alcance. Busco aprender a te esquecer. O que bastou foi ver-te aquele dia.
E agora ao recordar de minha tenra infância, pergunto-me se um dia voltarei a ter aquela paz inocente. Não pretendo fugir de mim mesmo, é impossível! Por isso vou buscar outros ares, outras direções, outros momentos. O seus olhos, o teu olhar, o teu pulso, tua firmeza. Não me pertencem. Não sei ser teu dono, não o poderia. Não o quero! Eu queria que tudo voltasse ao normal, sentir e não saber, ver e não perceber, não tocar. Porém, agora é tarde. Fico feliz em saber que não mais me envolverei ... Nada quero por agora, nada quero durante um bom tempo. Não soube aproveitar minha liberdade, mas aprendi a lição.
E que de hoje em diante, saibamos viver da melhor maneira possível ...





Não é Fácil - Marisa Monte


Nenhum comentário:

Postar um comentário