sábado, novembro 13, 2010

Foge de mim



Certa vez, cruzei os mares que estendiam-se a minha frente, sem perceber. Certa vez, venci obstáculos mesmo sem querer. Já fui boa demais, falei demais, errei demais e arrependi-me sim. Fui mais corajosa do que deveria e alcancei o que me propus a fazer. E agora, que é quando eu mais preciso de toda essa coragem para acertar o alvo, sem medo de erros e consequências, ela trai-me. Incontrolávelmente foge de mim, como uma gazela corre de um leopardo. E ela esconde-se, abriga-se entre a mais fechada e densa floresta. Aprisiona-se lá até que sua dedução tire-a de lá. E não há nada que a faça sair de lá enquanto ela estiver sentindo-se ameaçada. Ah coragem! por que me abandonaste logo quando mais te necessito? Abandonaste-me para eu morrer a míngua, na solidão .......

Estou mais covarde do que jamais estive ....
Queria ter coragem ao menos para dizer, frente a frente, que tudo o que sinto não mudou em tanto tempo.
Queria eu ter a coragem de dizer apenas três pequenas palavras:
EU TE AMO 

Nenhum comentário:

Postar um comentário